• Fabiana de Luna

O LIXO GERADO POR UMA PESSOA COM DIABETES


VOCÊ SABE O QUE FAZER COM TODO O LIXO GERADO DURANTE O SEU TRATAMENTO?

Você parou para pensar nos diferentes tipos de lixo que geramos no dia a dia, e o destino que damos (ou deveríamos dar) para cada um deles?

Não estamos falando apenas em PRESERVAR O MEIO AMBIENTE, mas também em PROTEGER A SAÚDE DAS PESSOAS!

Primeiro, vamos conhecer os tipos mais comuns de lixo:

Lixo orgânico É o lixo derivado dos resíduos orgânicos. São gerados principalmente nas residências, restaurantes e estabelecimentos comerciais que atuam na área de alimentação. Devem ser separados dos outros tipos de lixo, pois são destinados, principalmente, aos aterros sanitários das cidades. Exemplos: cascas de frutas e legumes; restos de verduras, de arroz e de feijão; restos de carnes e ovos. Lixo reciclável É todo lixo material que pode ser utilizado no processo de transformação de outros materiais ou na fabricação de matéria-prima. São gerados nas residências, comércios e indústrias. Devem ser separados e destinados a coleta seletiva. São usados por cooperativas e empresas de reciclagem. A separação para a reciclagem deste tipo de resíduo sólido é de extrema importância, pois além de gerar empregos e renda, também contribuí para o meio ambiente. Isto ocorre, pois este lixo não vai gerar poluição em rios, solo e mar. Exemplos: embalagens de plástico, papelão, potes de vidro, garrafas PET, jornais e revistas usadas e objetos de metal. Lixo industrial São os resíduos, principalmente sólidos, originários no processo de produção das indústrias. Geralmente é composto por sobras de matérias-primas, destinados à reciclagem ou reuso no processo industrial. Exemplos: retalhos de tecido, sobras e retalhos de metal, embalagens de matéria-prima, sobras de vidro e etc. Lixo hospitalar São os resíduos originados em hospitais e clínicas médicas. São perigosos, pois podem apresentar contaminação e transmitir doenças para as pessoas que tiverem contato. Devem ser tratados segundo padrões estabelecidos, com todo cuidado possível. São destinados para empresas especializadas no tratamento deste tipo de lixo, onde geralmente são incinerados. Exemplos: curativos, seringas e agulhas usadas, material cirúrgico usado, restos de medicamentos e até mesmo partes do corpo humano extraídos em procedimentos cirúrgicos. Lixo comercial É aquele produzido pelos estabelecimentos comerciais como, por exemplo, lojas de roupas, brinquedos e eletrodomésticos. Este lixo é quase totalmente destinado à reciclagem, pois é composto, principalmente, por embalagens plásticas, papelão e diversos tipos de papéis. Lixo verde É aquele que resulta, principalmente, da poda de árvores, galhos, troncos, cascas e folhas que caem nas ruas. Por se tratar de matéria orgânica, poderia ser utilizado para compostagem, produção de adubo orgânico e até confecção de objetos de artesanato. Infelizmente, no Brasil, ele é destinado quase exclusivamente aos aterros sanitários. Lixo eletrônico São os resíduos gerados pelo descarte de produtos eletroeletrônicos que não funcionam mais ou que estão muito superados. Exemplos: televisores, rádios, impressoras, computadores, geladeiras, micro-ondas, telefones e etc. Lixo nuclear É aquele que é gerado, principalmente, pelas usinas nucleares. É um lixo altamente perigoso por se tratar de elemento radioativo. Devem tratados seguindo padrões rigorosos de segurança. Exemplos: sobras de urânio utilizados em usinas nucleares e elementos radioativos que compõem aparelhos de raio-x. Lixo espacial É o lixo gerado a partir das atividades espaciais. Ficam na órbita terrestre, gerando uma grande poluição espacial. Exemplos: satélites desativados, ferramentas perdidas em missões espaciais, resíduos de tintas e pedaços de foguetes espaciais.

Fonte

Com exceção do lixo nuclear e espacial, já deu pra ver que geramos quase todos os tipos de lixos no dia a dia, não é mesmo?

Além disso, o lixo pode ser classificado em TIPOS DE RESÍDUO. Cada tipo de resíduo oferece um tipo de RISCO, e exige uma forma correta de descarte:

-Grupo A (Subgrupos A1, A2, A3, A4 e A5) – Risco biológico. -Grupo B (Resíduos Químicos) – Risco químico. -Grupo C (Resíduos Radioativos) – Risco radiológico. -Grupo D (Resíduos domésticos) – Não oferece risco. -Grupo E (Resíduos Perfuro cortantes) – Risco biológico.

E o lixo gerado pelas pessoas com diabetes??? Você sabe o que fazer com ele? Antes de tudo, você sabe IDENTIFICÁ-LOS?

Vamos lá... vamos tentar listar tudo o que uma pessoa com diabetes gera para manter o tratamento e, mentalmente, classificar sobre o tipo de resíduo (se for o caso):

- algodão

- tiras de exame

- lancetas

- seringa

- agulhas usadas

- canetas de insulina usadas

- frascos de insulina vazios ou com restante de material

- cateter usado (normalmente com resto de insulina dentro)

- cânula usada

- baterias descarregadas dos monitores e da bomba

- monitores de glicemia antigos/quebrados

- embalagens de tudo isso citado acima.

Com certeza devem ter mais itens que não estão listados aqui (comente, para incluirmos!) mas, desta lista, o mais importante é saber que temos MATERIAIS INFECTANTES E CONTAMINANTES, e também os MATERIAIS PERFUROCORTANTES, que podem gerar riscos à saúde de outras pessoas... e por causa disso, precisamos prestar muita atenção sobre a forma CORRETA de descartar, nunca o fazendo em uma lixeira normal!!!!!

Portanto para nós, portadores de diabetes, é importante saber sobre os materiais do Grupo A (casos de tiras que contém sangue), do Grupo B (resto de medicamentos e materiais contendo medicamentos, como a insulina, por exemplo), e o Grupo E (seringas, agulhas, lancetas). O cuidado especial vai para este tipo de lixo, que geramos em grande volume e pode colocar em risco a vida de outras pessoas.

O descarte de agulhas jamais deve ser feito no lixo doméstico. Isso porque existem vários coletores que aproveitam os materiais recicláveis descartados pelas residências e comércios e, se uma agulha estiver no meio desses materiais comuns, o coletor poderá se machucar ou contaminar.

Fonte da imagem

“Os resíduos perfuro cortantes como, agulhas, escalpes, bisturis e outros, devem ser acondicionados no local de sua geração em embalagens estanques, resistentes a punctura, ruptura, vazamento e devidamente identificado através do símbolo de risco correspondente. Nunca devem ser colocados diretamente em sacos plásticos juntamente com outros resíduos infectantes, pois pode provocar acidentes.”

Podemos comprar as embalagens especiais para descarte em qualquer farmácia ou loja hospitalar, além de ganhar em postos de saúde onde se retiram os insumos.

Mas se não houver a possibilidade de utilizar esta embalagem específica, basta colocar as agulhas e seringas em uma GARRAFA PET COM TAMPA, GARRAFA DE VIDRO COM TAMPA.... ir descartando o lixo sempre ali, e quando estiver cheia, levar de volta ao posto de saúde, hospital, ou farmácia que façam coleta para descarte!

Fonte da imagem

É muito importante termos consciência sobre o lixo que geramos, e darmos o direcionamento correto para seu descarte.

Eu, por exemplo, sempre mantenho uma caixinha de descarte de perfurocortantes em casa, e outra no trabalho... E quando eu viajo, carrego comigo uma caixinha pequena, que cabe na bolsa, ou guardo as agulhas em uma latinha de bala, para depois dar o fim correto, mas nunca jogo no lixo!

E em casa, no dia a dia, faço a coleta seletiva, separando orgânicos dos recicláveis... assim, posso colaborar com o meio ambiente, e ter a consciência limpa que pelo menos a minha parte estou fazendo!

DICAS:

1) As pilhas que usamos nos glicosímetros e na bomba de insulina nem sempre estão totalmente descarregadas... os dispositivos, por segurança, avisam sobre a "bateria fraca", mas eu sempre as reutilizo em controles remotos, relógios... e duram mais alguns meses!

Depois, finalmente as descarto em coletores de material eletrônico (sempre tem um ponto da cidade que faz esta coleta, procure saber!).

2) Nunca descarte medicamentos no lixo, vaso ou pia... sempre leve para uma farmácia ou estabelecimento de saúde, para que o descarte correto seja feito... os medicamentos podem causar sérios danos ao cair nos rios e solos, podendo causar até a morte!

E VOCÊ, como descarta o seu LIXO?

#diabetes #lixo #reciclavel #coletaseletiva #descarte #materialbiologico #diabetestipo1 #seringa #meioambiente #reciclagem #sustentabilidade

1,458 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo