• Fabiana de Luna

Meu diagnóstico com a DOENÇA CELÍACA

Há quase um ano fui diagnosticada com a Doença Celíaca (DC) que, assim como o diabetes tipo 1, é uma doença autoimune. Tenho um post que explica doenças auto imunes, clique aqui.


"A doença celíaca é uma reação imunológica ao glúten que causa uma inflamação grave no intestino e que pode levar à desnutrição por má absorção de nutrientes.


Nos celíacos, partículas não digeridas das proteínas do glúten – como a gliadina, presente no trigo – conseguem atravessar a parede intestinal. Isso desencadeia uma reação do sistema imunológico, que agride as células da camada superficial do intestino delgado, gerando uma inflamação. Com o tempo, o distúrbio vai destruindo as vilosidades do intestino, aquelas saliências em formato de dedos que absorvem nutrientes. Em outros cereais, os agentes nocivos são a secalina (cevada) e a hordeína (centeio)."






SINTOMAS


Há alguns anos eu percebia alguns sintomas clássicos como diarréia, distenção abdominal, manchas na pele, queda de cabelo, cansaço.... mas eu não associava isso à doença celíaca, eu não fazia ideia!

Mas eu tinha claro para mim que, quando eu tomava muita cerveja na balada, ou batia um pratão de macarrão, eu tinha piriri!


Então eu sabia que, se tivesse um compromisso no dia seguinte, era melhor evitar...

Mas os sintomas podem variar de pessoa a pessoa, sendo os principais já conhecidos:

Diarreia, prisão de ventre, perda de peso, anemia, sensação de estufamento, cólica e desconforto abdominal.


Outros sintomas da doença celíaca estão relacionados à má absorção de nutrientes, como cansaço, falta de ar, lesões na pele, queda de cabelo, dificuldade de crescimento em crianças, osteoporose e carência de vitaminas.

É importante lembrar que algumas pessoas podem ter poucos ou nenhum sintoma. A falta de tratamento da doença pode causar o surgimento de tumores no intestino ou linfoma.


DIAGNÓSTICO


Eu comentei com minha endocrinologista sobre meus sintomas frequentes de diarréia, aquilo me incomodava, e eu sabia que algo não estava muito normal em mim.

Ela me pediu para fazer alguns exames de anticorpos, e então me explicou que quem já tem uma doença autoimune desenvolvida, no meu caso o DM1, tem muito mais chances de desenvolver outras doenças autoimunes ao longo da vida. Me pediu para investigar sobre a tireóide, Lupus, e Doença Celíaca.


Os exames de anticorpos para doença celíaca (anticorpos contra o glúten) foram:


- ANTICORPOS ANTI ENDOMÍSIO IgG

- ANTICORPOS ANTI GLIADINA IgA

- ANTICORPOS ANTI-TRANSGLUTAMINASE TECIDUAL-IgA, TTG


Dois dos 3 anticorpos 2 deram alterados, e então fui procurar um especialista, um Gastroenterologista para continuar as investigações.


Para completar o diagnóstico, além dos sintomas e anticorpos positivos (estes já eram quase certeza, but...), foi necessário fazer uma biopsia do intestino delgado, através de uma endoscopia.

Este exame avalia se há alterações de inflamação e atrofia das vilosidades do intestino...


Pois bem, eu estava com uma inflamação crônica de nível moderado a avançado, e uma proporção de vilosidades de 2:1.... sendo que o normal é de 5 a 4:1 (minhas vilosidades intestinais já tinham metade do tamanho, o que muito provavelmente já estava começando a interferir na absorção de nutrientes e na fisiologia de meu intestino).




TRATAMENTO


A doença celíaca não tem cura. O único tratamento que existe é a exclusão total do gluten da dieta, para o resto da vida.







APRENDIZADO


Devo dizer que, assim como o Diabetes tipo 1, ter DOENÇA CELÍACA não é fácil.


É uma luta contra as vontades. É ter que planejar todo o seu dia de alimentação, especialmente quando fora de casa. É se preocupar com a prepração do alimento para não haver contaminação cruzada, é ter que recursar convites para ir na pizzaria, ou ir só pra acompanhar mesmo...


Estou tendo que readaptar minhas rotinas, meu estilo de vida, meu comportamento social!

Não rejeito convites, mas preciso ter a consciência que nem sempre vou ter o que comer em todos os lugares, e que sempre preciso carregar minha marmitinha com comida saudável e segura (livre de gluten) pra onde eu for.

Vergonha? Não... a minha saúde é muito mais importante!


Outro cuidado que eu tenho tido é o de introduzir mais fibras na minha alimentação... a alimentação sem gluten, muitas vezes, tem pouca fibra (farinhas de arroz, de milho, tapioca...) o que faz subir MUITO MAIS a glicemia... então, procuro ter uma alimentação o mais natural possível, com legumes, verduras e carne (COMIDA DE VERDADE!), e deixo os biscoitinhos e pães (que não são assim tão bons, vamos ser sinceros...) para ocasiões especiais ou para os dias de pressa!


Tem sido uma readaptação, e mudança de consciência.... diferente do açúcar, que conto os carboidratos e aplico a insulina pra comer um docinho, o gluten não tem remédio, não tem solução. Simplesmente não se pode comer!

E imaginem, uma italianinha que ama massas, pães e pizza! Não, não é fácil!


Mas... a gente se adapta, e pelo bem de nossa saúde e de nossa vida, seguimos em frente!


Você costuma fazer exames e investigar sobre doenças auto-imunes regularmente?



Fontes de leitura:

https://drauziovarella.uol.com.br/alimentacao/doenca-celiaca-como-diagnosticar-e-tratar/

http://www.glutenconteminformacao.com.br/o-que-e-a-doenca-celiaca/

190 visualizações0 comentário